sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Sem título.

Tudo foi muito rápido, mas você trouxe de volta minha esperança que a muito tempo eu já não tinha. Você me fez ver que realmente é possível amar novamente, sem medo nenhum. E é o que eu mais quero fazer, me entregar sem me preocupar com nada, pois vou ser feliz com você a cada momento da minha vida em que eu estiver ao seu lado.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Penny



 My everything is broken, it's all done
 And there's no air around to fill my lungs
 This song is all I have to give
 This song is all I have to give


Visconde (Lucas Silveira)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Só de Sacanagem.


Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta a prova? Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro. Do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente anos pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais. Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta a prova? Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. Meu coração tá no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e todos os justos que os precederam. 'Não roubarás!', 'Devolva o lápis do coleguinha', 'Esse apontador não é seu, minha filha'. Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar! Até habeas corpus preventiva, coisa da qual nunca tinha visto falar, sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará! Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear! Mais honesta ainda eu vou ficar! Só de sacanagem!
Dirão: 'Deixe de ser boba! Desde Cabral que aqui todo mundo rouba!
E eu vou dizer: 'Não importa! Será esse o meu carnaval! Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos.'
Vamo pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo, a gente consegue ser livre, ético e o escambal.
Dirão: 'É inútil! Todo mundo aqui é corrupto desde o primeiro homem que veio de Portugal!'
E eu direi: 'Não admito! Minha esperança é imortal, ouviram? Imortal!'
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quizer, vai dar pra mudar o final!
Elisa Lucinda

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

5 de setembro.

Almejava por um dia como esse era enorme. Medo e timidez foram sentimentos que não me deixaram desde a hora em que acordei. Almejava por isso a um tempo, pelo primeiro encontro, finalmente conhecer fisicamente quem me acorda de madrugada com músicas por sms, quem não me deixa estudar, enfim.
Coração acelerado, medo e alegria juntos até o primeiro olhar e lá vem ela, radiante e logo o medo foi ficando de lado. Os dois um tanto vergonhosos e trêmulos, poucas palavras trocadas. Encantou-me com seu jeito de ser, tanta ternura, personalidade incrível e uma voz suave e doce.
A verdade é que dia 5 de setembro foi mais que especial e inesquecível pra mim. Apesar de tudo, foi perfeito!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sem título.

To a um tempo sem postar, nada para fazer aqui, resolvi escrever alguma coisa diferente... Mas é difícil escrever essas coisas, me faltam idéias e tal.
As vezes me perco em pensamentos e sonhos de um futuro que eu idealizo, que espero que se torne um presente bem próximo. Coisas que eu sempre quis e coisas as vezes desisto em menos de um minuto. Mas de um tempo pra cá, uma coisa; ou melhor, uma pessoa; não sai desse sonho. Uma pessoa que quase sempre é a primeira em meus pensamentos quando acordo, é sempre a primeira que imagino. Não quero saber onde vou chegar com essas idéias. Sei que a vida vai me levar onde tiver que ser.
Cansei de escrever...