sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Desigualdade Social.

Muito, pouco.
As vezes o muito não é suficiente pra alguns,
as vezes o pouco é mais do que suficiente pra outros.
Somos transgressores dos direitos humanos,
hipócritas especializados em ignorar a sociedade.
Andamos pela cidade como quem não quer nada
vemos, ouvimos a dor, a fome, o abandono,
e só vemos, só ouvimos e mais nada.
Não há redenção no mundo pra isso, não há reza,
só conversa fiada, enquanto a realidade vos corta os pulsos
e a juventude usa a cola como tapa buraco.
Assim como usamos eles pra tapar o buraco da sociedade
nadamos em hipocrisia, dia a dia.
Não há comida, não há cama que salve
apenas um olhar de gente pra gente e não de gente pra um animal.

Camila Castro

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cansei de ser ignorado pelo mundo. Vou dar mais valor as pessoas que me amam e esquecer as pessoas que me deixam pra baixo. É isso, serei uma pessoa melhor agora. Ou não. :)

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

A procura da felicidade.

Sim, sim! Acabei de ver esse filme que me inspirou a escrever esse post.
Bom, todo mundo deseja ser feliz, mas como mostra o filme, essa tarefa, as vezes pode ser bem complicada. Será que uma boa família, saúde e amor bastam? Ou quem sabe, um Hilux ou uma simples TV 72'' 3D não ajudem? E é isso que inspira nossa felicidade: Mais. Não apenas ter coisas caras.
Como na saúde, as mulheres querem um corpo de Gisele; os homens, um corpo de Jesus.
E uma família? Tem que ser perfeita! Filhos loiros, de olhos azuis, e jogadores de futebol... ou qualquer outra coisa que dê dinheiro. E claro, um amor eterno.
Mas é claro que uma família assim tem felicidade de sobra, para dar e até vender, se quiser. Mas será que só não ter uma alergia, ou estar do lado de uma pessoa que você goste, ganhar o suficiente para poder sustentar uma família não basta?


Agora, aproveitando vou postar esse selo que recebi do blog Doce História, muito obrigado!
Vou indica-lo à 3 blogs:

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Fanatismo

Minh'alma de sonhar te anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver
Não és sequer a razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida


Não vejo nada assim, enlouquecida...
Passo no mundo, meu amor, a ler
No misterioso mundo do teu ser
A mesma história tantas vezes lida


"Tudo no mundo é frágil, tudo passa..."
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim


E, olhos postos em ti, digo de rastros:
"Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
que tu és como Deus. Princípio e fim."


Florbela Espanca